MUTIRÃO ZERA FILA

Mutirão no Hospital Adriano Jorge busca zerar fila de cirurgia de hérnia e vesícula no AM

São mais de 100 cirurgias convencionais e via vídeo de hérnia e vesícula de pacientes que aguardavam procedimentos na fila do Sisreg. É o caso da aposentada Maria Pereira Dutra, 76 anos, que será operada hoje (15)

Karol Rocha
online@acritica.com
15/09/2022 às 13:18.
Atualizado em 15/09/2022 às 13:18

(Foto: Gilson Mello)

Zerar a fila de pacientes que aguardam cirurgias de hérnia e vesícula no Amazonas é o objetivo do Governo do Estado com um mutirão que acontece durante esta semana na Fundação Hospital Adriano Jorge (FHAJ), bairro Cachoeirinha, bairro Centro-Sul.

São mais de 100 cirurgias convencionais e via vídeo de hérnia e vesícula de pacientes que aguardavam procedimentos na fila do Sisreg estão sendo realizadas. E uma delas é da aposentada Maria Pereira Dutra, 76 anos. Ela aguarda cirurgia de vesícula há oito meses. Marcada para a tarde desta quinta-feira (15), mãe e filha estão na expectativa.

Aos 76 anos de idade, Maria Pereira Dutra está na expectativa de ser atendida hoje (15) (Foto: Gilson Mello)

"Há mais ou menos sete ou oito meses, ela começou a reclamar de dor, foi quando ela passou mal e o médico a encaminhou para exames mais profundos e foi detectado a vesícula muito inflamada. Ontem, eu estava no trabalho quando me mandaram mensagem dizendo para a minha mãe se internar. Ela está muito tranquila", contou a professora Noélia Lima, 51.

Apenas nesta quarta-feira, 90 cirurgias haviam sido realizadas no mutirão. Hoje, a Fundação Hospital Adriano Jorge (FHAJ) deve realizar 22 cirurgias de hérnia e vesícula. 

"Nós temos muitos desafios em relação às filas de cirurgias. Essa semana nós estamos realizando 160 cirurgias de hérnia e de vesícula. Pretendemos até o final do ano, zerar essa fila de cirurgias para algumas especialidades. Quando a gente fala zerar é aquele tempo que as pessoas fazem seus exames e em 60 dias já realizam suas cirugias", afirmou o secretário de Estado de Saúde, dr. Anoar Samad. 

Vesícula e Hérnia

As doenças de vesícula biliar acometem mais mulheres em todo o mundo e 70% das hérnias ocorrem em homens. De acordo com o médico cirurgião hepatobiliar da FHAJ, Sidney Chalub, o tratamento de vesícula é por meio da cirurgia. 

"Aqui na fundação nós fazemos o tratamento de retirada da vesícula. É importante que a gente tenha o controle dessa doença porque ela pode dar complicações graves como pancreatite, inflamações generalizadas e até óbito por câncer de vesícula", alertou. 

Quanto à hérnia, ele explica que a incidência tem aumentado em homens por conta do envelhecimento. 

"E da alteração que acontece na musculatura. É um buraco que acontece na parece por ficarmos em pé, nós temos essa tendência. Aqui nós temos várias modalidades de tratamento, tanto cirurgias abertas até por meio de laparoscopia, em que paciente recebe alta no outro dia", afirmou Chalub. 

O médico ainda destaca a importância da descoberta e tratamento precoce das doenças. "A vesícula está muito relacionada à doença, fatores genéticos e hormônio feminino. Talvez a gente não consiga evitar, mas nós temos como fazer o diagnóstico precoce", comentou. 

"Faz parte da avaliação fazer uma ultrassonografia e ver como está o funcionamento da vesícula, mas a dieta é fundamental, a qualidade de vida e ingerir bastante líquido são os fatores que usamos hoje em dia". Sobre hérnia, o médico ressalta a importância da atividade física para os homens. "Evitar o sedentarismo", conclui.

Assuntos
Compartilhar
Sobre o Portal A Crítica
No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.
Portal A Crítica - Empresa de Jornais Calderaro LTDA.© Copyright 2022Todos direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por