Ataques a Lula e pedido de votos em Wilson Lima marcam comício de Bolsonaro em Manaus

O ex-presidente Lula foi alvo de ataques de Bolsonaro durante boa parte do seu discurso. Ele também pediu aos apoiadores para reverter o voto de quem pensa diferente

Jefferson Ramos
online@acritica.com
22/09/2022 às 20:44.
Atualizado em 22/09/2022 às 20:48

(Foto: Gilson Mello)

O presidente Jair Bolsonaro (PL) pediu voto para o governador Wilson Lima (UB) e atacou a esquerda, especialmente o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva do PT,  que está na liderança das pesquisas de intenção de voto, durante  comício na Avenida das Torres, Zona Centro Sul. 

O presidente acusou o PT de votar contra a ampliação do Auxílio Brasil de R$ 600 neste ano eleitoral. Na mesma linha, ao destacar a agenda positiva do seu governo, Jair Bolsonaro disse que o partido de Lula também foi contrário no Congresso Nacional à diminuição do preço da gasolina, medida que foi aprovada em forma de teto de 18% sobre o ICMS dos Estados. 

“O PT votou contra o Auxílio Brasil. Hoje vocês sentem também a diminuição do preço da gasolina em todo o Brasil, que fique bem claro, todo senador do PT votou contra a redução da gasolina. Ou seja, é um partido de além de bandidos, querem fazer com que o povo sofra para eles chegarem ao poder”, criticou Bolsonaro.

(Foto: Gilson Mello)

O presidente afirmou que os R$ 600 do Auxílio Brasil foi estabelecido de forma permanente. Ao contrário disso, o benefício tem duração até dezembro deste ano. No início do ano que vem, o valor volta a ser de R$ 400.

Ao pedir votos para aliados no Amazonas como o governador Wilson Lima, o presidente ainda pediu aos apoiadores para reverter o voto de quem pensa diferente. O presidente adicionou também que acredita que será reeleito no primeiro turno, no dia 2 de outubro, apesar das pesquisas de intenção de voto indicarem o contrário.

“Aqui no Estado do Amazonas, eu fico com Wilson Lima pela reeleição. E fico também com o meu amigo Coronel Menezes para o Senado Federal”, pediu o presidente.

Bolsonaro insistiu em tratar de pautas de costumes durante o seu discurso. O presidente se comparou à esquerda e destacou que é contra o aborto enquanto a esquerda defende a liberação.

Apoiadores se reuniram junto a Jair Bolsonaro no Espaço Torres, na Avenida das Torres (Foto: Gilson Mello)

Proibido pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de usar o discurso feito na Organização das Nações Unidas (Onu) na propaganda eleitoral, Bolsonaro mencionou o discurso lembrando que ofereceu asilo político para padres perseguidos na Nicarágua. 

Os pastores Renê Terra Nova do Ministério Internacional da Restauração (Mir) e o pastor-presidente Jonatas Câmara oraram durante o comício. Os dois pastores direcionaram as orações para o presidente ser eleito no primeiro turno.

Confira mais registros do repórter fotográfico Gilson Mello:

Assuntos
Compartilhar
Sobre o Portal A Crítica
No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.
Portal A Crítica - Empresa de Jornais Calderaro LTDA.© Copyright 2022Todos direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por