Eleições 2022

Apoio do PSB à candidatura de Nicolau ao governo forma mais um palanque para Lula no Amazonas

Segundo Serafim, o PSB irá fazer uma "campanha limpa" e adiantou que o partido não tem a intenção de atacar o senador Eduardo Braga (MDB) que também disputa ao governo estadual com o apoio de Lula e do PT

Jefferson Ramos
online@acritica.com
04/08/2022 às 17:39.
Atualizado em 04/08/2022 às 17:39

(Foto: Divulgação)

A confirmação do apoio do PSB à candidatura do deputado estadual Ricardo Nicolau (SD) ao governo do Amazonas, confirmada na tarde de ontem, vai criar mais um palanque  para do ex-presidente Lula (PT) no Amazonas. 

A sigla no plano nacional indicou o vice de Lula, o ex-governador Geraldo Alckmin. O presidente estadual do PSB, deputado Serafim Corrêa disse que o melhor caminho para ajudar Lula e Alckmin no Amazonas foi apoiar Ricardo Nicolau.

Segundo Serafim, o PSB irá fazer uma "campanha limpa" e adiantou que o partido não tem a intenção de atacar o senador Eduardo Braga (MDB) que também disputa ao governo estadual com o apoio de Lula e do PT amazonense, outro palanque esquerdista no Estado. 

“Não há nenhuma complicação. Não esperem de nós. Nenhuma palavra agredindo o ex-governador Eduardo Braga. Vamos fazer a nossa campanha, tendo como referência o presidente Lula, que de forma alguma, vai rejeitar o nosso apoio. Se o presidente Lula tinha um palanque, agora ele tem dois. Não vamos cobrar o presidente Lula para ele vir para o nosso palanque. Nós é que vamos para o palanque dele”, disse o deputado. 

Ao A CRÍTICA, o deputado federal Bosco Saraiva (SD)  afirmou que o vice de Ricardo Nicolau pode ser indicado pelo PSB. Ele confirmou que o nome  será revelado até esta sexta-feira, prazo final para a realização de convenções partidárias.

“Pode vir do PSB como também pode sair do Solidariedade. Temos muitos pontos em comum com o PSB por isso que a aliança aconteceu”, afirmou Bosco.

Questionado sobre a saída do PMN que até ontem integrava a coligação de apoio à candidatura de Ricardo Nicolau, Bosco Saraiva chamou o movimento de “atitude não republicana” de todas as partes envolvidas. 

“Uma atitude não republicana por parte dos dirigentes do PMN que foram a publico no domingo anunciar uma aliança que estava sendo costurada entre o PMN e o deputado Ricardo Nicolau e depois ele se retiraram”, criticou Bosco. 

O presidente estadual do PSB, Serafim Corrêa confirmou que o apoio da sigla de esquerda ao Solidariedade foi definido de última hora. Segundo Serafim, a aliança visa ampliar o leque de apoio à candidatura de Lula e Alckmin à Presidência da República.

A debanda do PMN da aliança com o Solidariedade ocorreu na tarde desta quarta-feira (4). A sigla anunciou apoio à reeleição do governador Wilson Lima (UB). 

A reportagem apurou que a migração do PMN para a aliança do governador foi uma articulação do prefeito David Almeida (Avante). 

O presidente do PMN, candidato a deputado estadual  Angelo Reis, chegou a reconhecer que o peso da máquina pública pesou na decisão da sigla para abandonar Ricardo Nicolau. Angelo Reis declarou que a aliança com Nicolau não daria frutos, já a coligação com o governador deverá turbinar a chapa proporcional (deputados estaduais e federais) do partido, conforme o próprio presidente admitiu.

Assuntos
Compartilhar
Sobre o Portal A Crítica
No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.
Portal A Crítica© Copyright 2022Todos direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por