CRIME NO VALE DO JAVARI

Quarto suspeito preso pelas mortes de Dom e Bruno detalha participação no crime

Gabriel Pereira Dantas disse a polícia que é de Manaus, mas desde maio estava vivendo em Atalaia do Norte, fugindo da facção criminosa Comando Vermelho, que teria o jurado de morte

Amariles Gama
online@acritica.com
23/06/2022 às 21:06.
Atualizado em 23/06/2022 às 21:34

(Foto: Reprodução)

Gabriel Pereira Dantas, apontado como o quarto suspeito nas mortes do jornalista britânico Dom Phillips e do indigenista Bruno Pereira, deu detalhes do crime, nesta quinta-feira (23), em depoimento à Polícia Civil de São Paulo. Ele foi preso na capital paulista na manhã de hoje.

Em depoimento ao delegado Denis Fernando Balsamo, Gabriel disse que se entregou à polícia porque teria participado da morte dos “dois turistas”. Ele contou à autoridade policial que é de Manaus, mas desde maio estava vivendo em Atalaia do Norte, na região do Vale do Javari, fugindo da facção criminosa Comando Vermelho, porque estava sendo jurado de morte pelo grupo.

No dia do crime, Gabriel conta que estava consumindo bebida alcoólica com Amarildo da Costa Oliveira, o “Pelado”. Em certo momento, Pelado teria chamado Gabriel para pilotar sua canoa, mas não disse para onde eles iriam e nem o que iriam fazer, e os dois saíram, segundo declarou o suspeito preso.

Gabriel disse ainda à polícia que foi Pelado quem atirou nas duas vítimas com uma espingarda calibre 16. O suspeito teria atirado primeiro em Dom e depois em Bruno, segundo declarou Gabriel. Depois, ele teria chamado mais dois homens, provavelmente Jefferson da Silva Lima e Oseney da Costa de Oliveira, que também foram presos suspeitos do crime.

Segundo Gabriel, sua participação no crime se resume a ter ajudado a dar fim nos pertences de Dom e Bruno, jogando as mochilas e demais objetos pessoais das vítimas à margem do rio.

Depois de participar do crime, Gabriel declarou à polícia que fugiu para Santarém, no Pará. Em seguida, pegou um ônibus para Manaus, depois para Rondonópolis, no estado do Mato Grosso, e finalmente chegou a São Paulo, onde teria ficado nas ruas da cidade. Ele contou que “não aguentava mais a situação” e resolveu se apresentar à polícia.

O depoimento de Gabriel foi registrado em Boletim de Ocorrência assinado pelo delegado Denis Fernando Balsamo. "Nós entendemos que essa versão do suspeito tem fundamento, inclusive confirmamos alguns álibis e informações, inclusive o caminhoneiro que foi responsável pela carona a esta pessoa que está presa aqui conosco está sendo ouvido na cidade de Rio Verde, em Goiás", disse o delegado.

Segundo o Boletim de Ocorrência, não há investigação no estado de São Paulo sobre os assassinatos de Dom e Bruno, por isso, Gabriel deverá se apresentar a Polícia Federal para que seja dada continuidade na investigação do caso.

Assuntos
Compartilhar
Sobre o Portal A Crítica
No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.
Portal A Crítica© Copyright 2022Todos direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por