DICAS

Turistando em Parintins? Conheça alguns dos principais pontos "instagramáveis" da ilha

ACRÍTICA.COM separou alguns desses lugares para quem quer garantir os melhores cliques nas redes sociais.

Giovanna Marinho
online@acritica.com
23/06/2022 às 20:17.
Atualizado em 23/06/2022 às 20:17

(Fotos: Gilson Mello)

Mais turística do que nunca, a cidade de Parintins foi preparada para receber a legião de turistas apaixonados, ou que ainda vão se apaixonar, pelos bumbás Caprichoso e Garantido. Para registrar todos os momentos da viagem opções de locais para fotografias não faltam.

Os locais “instagramáveis” estão por todos os lados e vão desde as paisagens naturais, até os grafismos urbanos, todos inspirados na essência do Festival Folclórico parintinense e do cotidiano amazônida. ACRÍTICA.COM separou alguns desses lugares para quem quer garantir os melhores cliques nas redes sociais.

O ponto de partida é o Porto da Cidade, onde o visitante encontrará o letreiro “Eu amo Parintins”. O monumento de 11 metros de largura foi um dos comtemplados pelo edital da Lei Aldir Blanc de incentivo à cultura. Por lá é possível fazer dois planos de fotografia: o primeiro com a câmera traseira do celular, posando de frente para o rio, onde há, além dos dizeres, os dois bumbás com seus respectivos símbolos, a estrela e o coração; do lado contrário, agora com o rio como plano de fundo é a hora da selfie, com mesmos dizeres e o completo abaixo “capital nacional do boi-bumbá”.

(Foto: Gilson Mello)

Ali mesmo as cinco esculturas brancas impressionam quem passa. As obras, assim como o letreiro, são assinadas pelo artista Miguel Carneiro e remetem as raízes dos povos que ajudaram a erguer a cidade de Parintins são elas:  o negro, os imigrantes judeus, os japoneses, indígenas e pescadores. Juntos com os rostos esculpidos há também elementos da região como a onça-pintada, o boto, pirarucu e a pirarara.

Resíduos reutilizáveis

Do outro lado da Ilha, quem chega pelo Aeroporto Júlio Belém, fica impressionado com a grandeza da arte parintinense transcrita nas obras gigantes do artista Iran Martins na composição de “Excultura”. Por ali são vistas três esculturas: uma aranha, produzida com  garrafas de vidro, tela tubos de imagens antigos; uma iguana feita com pedaços de pneus recolhidos das ruas de Parintins; e uma cobra-grande feita com garrafas PET que foram tanto recolhidas das ruas e das lagoas, quanto doadas pelos moradores.

Ainda na estrada do aeroporto há outra escultura de aproximadamente 5 metros de altura com 10 de comprimento. A imagem retrata o rosto de um homem e da boca dele sai várias coisas. Os materiais utilizados são os mais diversos que foram descartados, como máquina de lavar, roda de motocicleta, sofá, escada, geladeira, gabinete, teclado, bicicleta, bebedouro, correntes, entre outros objetos.

(Fotos: Gilson Mello)

As peças confeccionadas por produtos que antes iam para o lixo podem ser encontradas em mais dois pontos: no galpão da Cidade Garantido em um retrato do boi e seu criador Lindolfo Monteverde; o outro fica localizado no campus da Universidade Federal do Amazonas nomeada “Mãos Humanas”.  

Mural a céu aberto

Em toda a cidade é possível ver o colorido dos grafites. A novidade desse ano foi uma promoção do Governo do Estado aos artistas parintinenses. O Roteiro das Artes tem mais de 2 mil metros quadrados grafitados espalhados em vários locais como a Av. Clarindo Chaves no muro do Cemitério Municipal São José, outra na Mini Vila Olímpica e ainda no Planeta Boi. As telas urbanas retratam diversas situações do cotidiano ribeirinho, indígena, itens do boi-bumbá cada um feito conforme o estilo de artistas como Josinaldo Mattos e Pitto Silva.

No coração de Ilha, a Catedral de Nossa Senhora do Carmo, padroeira do município, não passa despercebida e é parada obrigatória para os “blogueiros” de plantão. A fachada do templo, revestida de ladrilhos, já rende uma boa imagem pela pelo tamanho e os traços arquitetônicos trazidos por padres europeus. Mas a melhor parte está lá em cima. Com o valor de R$ 5 é possível subir no alto da torre e apreciar uma vista panorâmica de Parintins.

(Fotos: Gilson Mello)

Apoteose do Festival, a Arena Bumbódromo também é outro cenário perfeito para bons registros fotográficos. O complexo que recebe o confronto entre Caprichoso e Garantido recebeu reformas estruturais e um enorme mural nomeado 'Vitória da Cultura Popular'. Com quase 30 metros de altura e 770 metros cúbicos, a obra da dupla parintinense Alziney Pereira e Ermerson Freitas, os Curumiz, retrata também do lado de fora a rivalidade do lugar.

Pontos gastronômicos

Outra recomendação é ir, claro, até a orla de Parintins. Como se não bastasse a beleza do rio Amazonas ao fundo, alguns locais favorecem uma boa foto. Um deles é a praça de alimentação do Mercado Municipal onde além de comer uma bela refeição, o visitante pode registrar a imensidão das águas contrapostas na varanda com grade a em ferro fundido.

Falando em comida, outro ponto para comer e apreciar a beleza das águas é a Praça do Cristo Redentor com o seu píer repleto de restaurantes que neste ano inovaram e, para alegria dos turistas, criaram cenários para fotografias.

Mural e grafites

Mas não é só apontando a câmera pro alto que se tem boas fotos por ali. Logo abaixo um dos pontos mais registrados da Ilha, o muro central do Bumbódromo, teve as suas 22 obras revitalizadas e ainda ganhou o acréscimo de grafite nos oito metros laterais. O restauro foi feito pela Associação dos Artistas Plásticos de Parintins (AAPP), a pedido da Amazonastur.

(Fotos: Gilson Mello)

(Fotos: Gilson Mello)

(Fotos: Gilson Mello)

(Fotos: Gilson Mello)

(Fotos: Gilson Mello)

(Fotos: Gilson Mello)

(Fotos: Gilson Mello)

Assuntos
Compartilhar
Sobre o Portal A Crítica
No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.
Portal A Crítica© Copyright 2022Todos direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por