CULTURA

Jornalista Júlio Ventilari toma posse como um dos imortais da Alaca

Academia de Literatura, Arte e Cultura da Amazônia será inaugurada nesta quarta (3) e já empossa seus patronos imortais

acritica.com
online@acritica.com
03/08/2022 às 12:32.
Atualizado em 03/08/2022 às 12:32

Júlio é colunista de A CRÍTICA há 32 anos (Foto: Divulgação)

Com a finalidade de fortalecer o cultivo da língua, da literatura nacional, da arte e da cultura do Brasil e da região amazônica, a Academia de Literatura, Arte e Cultura da Amazônia (Alaca) será efetivada e inaugurada, com posse dos 115 patronos imortais. A cerimônia acontece nesta quarta-feira (3), às 19h, no auditório Belarmino Lins, da Assembleia Legislativa do Estado (Aleam).

Idealizador e presidente da Alaca, Rômulo Sena, que é jornalista e escritor, explica que a Academia é uma instituição cultural, sediada no Amazonas, com o papel de reafirmar e reforçar o papel da literatura, da arte e da cultura amazônica e brasileira. E que todos os seus membros indicados estão envolvidos nessas vertentes artísticas, com obras publicadas ou projetos em andamento.

Para o dia da posse, está prevista a Sessão Solene, presidida pelo idealizador da Academia. E os membros serão empossados vestidos com as pelerines (em substituição aos tradicionais fardões), próprias dos acadêmicos imortais, com direito a medalhas, diplomas e juramento coletivo, por meio de um orador. 

“Os membros empossados são profissionais de diversas áreas, muitos referência do mundo literário e cultural amazônico. Temos advogados, professores, jornalistas, médicos, economistas, além de desembargador e juiz, mas também estudante, diretor de escola rural, escritores de outros municípios do Amazonas. Todos serão membros efetivos e perpétuos, e sócios correspondentes do Brasil e estrangeiros. Serão os mais novos imortais da Amazônia”, declara Sena.

Um dos empossados será o jornalista Júlio Ventilari, que há 38 anos trabalha na imprensa manauara e agora será imortalizado na Alaca. Júlio é colunista de A CRÍTICA há 32 anos. "É com grande prazer e satisfação que eu tomo posse como um dos imortais da academia. Me sinto lisonjeado em estar ao lado dos outros grandes nomes escolhidos. Neste momento de valorização da cultura amazônica, me sinto muito feliz por ter sido escolhido para ocupar a cadeira de número 36. Com isso, poderei deixar meu nome para a posterioridade", afirma Ventilari. 

Lançamento

Também será lançado, de forma digital, o livro “Do Sonho à Realidade”, organizado pelo próprio Rômulo Sena, e que contará a história de vida dos acadêmicos da Alaca. “É o dia da aproximação dos artistas, dos escritores. Dia da construção e da reconstrução do conhecimento. Dia que marcará uma nova geração de imortais, que se reunirá ao longo dos anos para fortalecer a cultura amazônica”.

Quando se fala em imortal, tal título se dá por conta do rito de passagem de cadeira, que na Alaca será similar ao da Academia Brasileira de Letras (ABL). Se um Acadêmico falecer, a cadeira será declarada vaga em Sessão de Saudade, com posterior votação de outros candidatos para ocupar a cadeira desse patrono. “Ninguém morrerá, mas ficará eternizado na memória da Academia da Amazônia”, finaliza o presidente da Academia de Literatura, Arte e Cultura da Amazônia.

Serviço

O quê: Posse dos membros da Academia de Literatura, Arte e Cultura da Amazônia (Alaca)

Quando: Hoje, 3 de agosto, às 19h

Onde: Auditório Belarmino Lins, da Assembleia Legislativa do Estado (Aleam)

Assuntos
Compartilhar
Sobre o Portal A Crítica
No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.
Portal A Crítica© Copyright 2022Todos direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por