DANÇA

Amazonenses vão em busca de título nacional no evento ‘Tropical Battle’ no RJ

Em março deste ano aconteceu uma versão do evento no Amazonas, e o trio foi campeão nas modalidades 2vs2 (dupla) e 1vs1 (individual)

Gabrielly Gentil
online@acritica.com
15/06/2022 às 11:15.
Atualizado em 15/06/2022 às 11:15

Bboy Move, e Kevison Carvalho, campeões na modalidade 2x2; primeiro à esq, Bboy Zoin, campeão na modalidade 1x1. (Fotos: Rodrigo Teixeira/Divulgação)

O cenário “breaking” – um estilo de dança – na região Norte vem ganhando destaque nos últimos meses. Se antigamente os eventos voltados para a cena hip hop eram mais escassos, hoje essa realidade vem sendo mudada por meio de projetos que fazem a diferença na vida daqueles que são apaixonados por essa cultura e que, muitas vezes, buscam apenas por uma oportunidade. É o caso dos jovens Ulisses Gomes Pinheiro, Kevison Carvalho de Almeida e Vanderlan Silva dos Santos Filho: eles participaram da eliminatória de dança do “Tropical Battle” (evento da cultura “breaking” que acontece desde 2016 no Rio de Janeiro). Em março deste ano aconteceu uma versão do evento no Amazonas, e o trio foi campeão nas modalidades 2vs2 (dupla) e 1vs1 (individual), respectivamente. Agora, os garotos irão competir pelo título de campeão nacional entre os dias 17 a 19 de junho, no Tropical Battle Rio de Janeiro. 

A seletiva amazonense foi possível graças à contemplação do edital Prêmio Amazonas Criativo, do Governo do Estado do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa – SEC. Além das eliminatórias de dança, o projeto também trouxe para Manaus ações em escolas públicas, palestras e workshops. 

“Tivemos um resultado muito bom, mesmo com os contratempos. O evento foi executado numa modalidade mista: tivemos uma programação online com bate-papos, entrevistas com interação com o público e também realizamos a forma presencial. Além das ações socioeducativas realizadas no CMEI Magnolia Frota, tivemos workshops e a tão esperada batalha de dança 1x1 e 2x2”, relembra a representante regional do Tropical Battle Amazonas, Alice Marcelle. 

Classificação
Ao todo, se inscreveram, de forma gratuita, aproximadamente 46 dançarinos atletas. Desses, apenas 16 se classificaram para a próxima fase: a batalha de dança que aconteceu no dia seguinte, no domingo do dia 20 de março deste ano. Os critérios avaliados foram musicalidade e clareza na execução dos movimentos. Na batalha de 2x2 (dupla), foram avaliados sincronismo e conexão dos candidatos; entre outros.

Os campeões da modalidade 2x2 foram Ulisses Gomes Pinheiro, artisticamente conhecido como Bboy Move, e Kevison Carvalho de Almeida. “Eu agradeço a Deus por essa oportunidade de representar o Amazonas na oficial Tropical Battle no Rio de Janeiro, e ser inspiração para os meus alunos”, destaca Bboy Move. Sua dupla, Kevison, compartilha do mesmo sentimento de gratidão.

“Sou grato primeiramente a Deus por participar e ganhar a vaga para representar minha cidade e meu grupo. Também agradeço à organização do evento por proporcionar essa oportunidade, pois através deste evento pude conhecer de perto um dos Bboys que me inspiro, o Bboy Kapu, ao qual troquei uma ideia e aprendizado sobre sua vivência. Estou com uma grande expectativa e treinando bastante para representar e levar o primeiro lugar”, diz ele.

Vanderlan Silva dos Santos Filho, artisticamente conhecido como Bboy Zoin, foi o campeão da modalidade 1x1 (individual). O atleta dançarino chama atenção para a organização do evento na capital amazonense. “No meu ponto de vista foi bem organizado, foi no local bem ‘da hora’, bem família, onde teve bastante oportunidade para todas as categorias, também não excluindo as crianças, e sim introduzindo elas mais ainda. A equipe de Manaus do Tropical foi 10”, ressalta o classificado. 

Após a etapa regional, os campeões – com passagens e hospedagens garantidas pelo evento – vão representar o Amazonas no Rio de Janeiro. Lá eles não precisarão passar por filtro: seguem direto para as batalhas.  A premiação será em dinheiro, e garante uma vaga para outros dois grandes eventos de “breaking”. 

Cultura hip hop
A representante regional do Tropical Battle Amazonas, Alice Marcelle, explica o valor desse movimento tão importante na vida de crianças, jovens e adultos. “A cultura hip hop surgiu às margens da sociedade, foi e é uma ferramenta de combate às violências e outros tipos de desprazer que encontramos nas periferias. Ela é um porta, um escape para um criança ou adulto, seja por meio das rimas, dos grafites, dos beats e o ‘breaking’, podendo levar a uma realidade que antes parecia inalcançável. Todo artista, produtor e articulador cultural busca apresentar esse caminho. Projetos como esse acabam sendo uma vitrine de possibilidades, desperta talentos e incentiva aqueles que ainda estão tímidos na caminhada”, conclui ela.

Sobre o projeto

Idealizado pela primeira crew de mulheres do Rio de Janeiro, hoje o Tropical Battle é um evento de expressão nacional que atrai entusiastas dos quatro cantos do Brasil e países vizinhos.

Assuntos
Compartilhar
Sobre o Portal A Crítica
No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.
Portal A Crítica© Copyright 2022Todos direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por