Viagem à Suíça

Professores do AM participam da Escola da Física no CERN

Lucas e Marcus conheceram as instalações e laboratórios, entre eles o grande colisor LHC, e participaram de cursos que promovem a disseminação de conhecimento sobre Física de Partículas

acritica.com
online@acritica.com
18/09/2022 às 08:48.
Atualizado em 18/09/2022 às 08:48

Professores do Amazonas durante a viagem (Acervo pessoal/divulgação)

Os professores da Secretaria de Estado de Educação e Desporto Lucas Linhares e Marcus Ribeiro foram selecionados para participar da Escola de Física, no Conselho Europeu de Pesquisas Nucleares (CERN), em Genebra, na Suíça.

O evento é promovido pelo comitê do CERN e permite aos professores de Física de todo Brasil conhecerem as instalações e laboratórios do Conselho. Além de participarem de cursos que promovem a disseminação de conhecimento sobre Física de Partículas.

Marcus, professor de Física do Colégio Amazonense D. Pedro II, centro da cidade, diz que se sente honrado em ter sido selecionado e que a experiência vai ser levada para dentro da sala de aula. 

“A gente vê que a secretaria e o Governo estão atentos para a formação dos professores, principalmente nessa perspectiva da área da ciência, de fomentar a ciência, desenvolver a ciência, trazer os debates que acontecem na nossa sociedade, no campo acadêmico, para realidade da sala de aula dos alunos, como é o caso da física de partículas”, declarou. 

Após a participação na Escola de Física, Marcus e Lucas têm como meta criar uma Master Class, que será oferecida para os alunos do Ensino Médio, visando o crescimento e aprimoramento da Física nas aulas ministradas. 

O professor Lucas, da Escola Estadual Governador Melo e Póvoas, zona oeste de Manaus, diz que a primeira etapa foi concluída, que é o conhecimento adquirido no CERN. Agora a missão é levar esse conhecimento para dentro da sala de aula. 

“A gente espera que com essa abordagem de conhecimento, novos alunos possam ter o interesse de engajar a ciência, se tornar um pesquisador, até porque atualmente temos cinco brasileiros no CERN estudando, então a proposta é a gente fazer essa divulgação científica, para que os alunos venham a conhecer o que é o CERN e todo esse avanço que a Física está descobrindo e o que que ela vai implicar na ciência, de fato”, enfatiza o educador. 

Escola de Física do CERN

A seleção dos professores se dá por uma comissão a nível nacional pela Sociedade Brasileira de Física (SBF), feita por análise de currículos, participação do professor em atividades da escola, como olímpiadas de Física, olimpíadas de Astronomia e um projeto que diga o motivo pelo qual o professor quer ir ao CERN.  

Após selecionados, os professores participam da Escola de Física em língua portuguesa no Laboratório de Instrumentação e Física Experimental de Partículas (LIP), em Lisboa e no CERN, em Genebra, onde podem conhecer o LHC (Large Hadron Collider), o maior acelerador de partículas do mundo. De todo Brasil foram selecionados 20 professores, da região norte foram quatro, desses, dois são do Amazonas.

Assuntos
Compartilhar
Sobre o Portal A Crítica
No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.
Portal A Crítica - Empresa de Jornais Calderaro LTDA.© Copyright 2022Todos direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por